terça-feira, 9 de abril de 2013

Marcos Feliciano


Em meio a mudanças que vemos em relação as religiões, temos agora no Brasil algumas mudanças de igrejas que estão influenciando e pressionando o governo do Pais. Entre os partidos que circulam no congresso entra em jogo o PSC (Partido Social Cristão) que fez em março uma nomeação que causou protestos e discussões.

Entra para a câmara um dos homens mais arrogante segundo a visão do público Brasileiro, surge quase do nada o tão falado Marcos Feliciano, um pastor que foi acusado muitas vezes por racismo entre os declarados negros e homossexuais, além de conter igrejas que cobravam milhares de dízimos que segundo gravações da própria igreja, são metas que tem que ser cumpridas.

Provas??? Aqui estão: 





Marcos passaria despercebido pelo cargo que ocupa na câmara se não vasculhassem seu passado, ele teria 2 anos de mandato sem nenhum problema e quem sabe faria um bom mandato, porém, quando foi pronunciada o seu nomeamento, o Brasil se lembrou de mais ou menos um ano quando ele fez acusações à igrejas por aceitarem o homossexualismo e depois de acusado sobre esse racismo, foi rude com os afro descendentes.

O que passa na cabeça dele? Ele como defensor dos direitos humanos, cargo ao qual foi nomeado, não deveria ter acusações de ser racista, homofóbico ou algo do tipo, mas segundo o próprio partido, eles nomearam ele e é vetado que ele saia sem que ele renuncie. Cabe ao supremo e autoridades superiores decidirem o que há de se fazer, enquanto isso o Brasil começa a se manifestar. Atores, cantores, artistas e cidadãos em geral tem mostrado que Feliciano não representa os direitos humanos que cada um ter de ser o que quiser.

A solução ainda não foi encontrada, mas por enquanto o  certo é reclamar à Vossa Excelência Marco Feliciano que ele não é digno de obter o cargo em que atua hoje e que a justiça deve agir, caso contrário, teremos muitas afrontas ao governo. 



Alguém aí quer ver a Influência da Igreja no Brasil??? Vamos rir um pouco com Fórmula 404 (assista a partir de 4:31):



Aqui mostra como a presidenta (não suporto esse há por questões de escrita, mas vamos deixá-lo aí):



É isso pessoal!!! Se gostaram ou não, comentem e espero escrever de novo logo aqui de novo!!! Abraço pros manos e beijos pras minas!!! Valeu!!!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Speaking of Good - Três Homens em Conflito


Três Homens em Conflito (Titulo original Il buono, il brutto, il cattivo) de Sergio Leone é um filme italiano de 1966, o mais conhecido western spaghetti e o último da trilogia dos dólares de Sergio Leone, que inclui Per un pugno di dollari (Por um Punhado de Dólares) e Per qualche dollaro in più (Por uns Dólares a Mais)., simples sua trilogia fez um grande sucesso, fazendo milhares de fãs até hoje, considero pela critica e por fãs o melhor western já feito. É referência para muito filmes, livros entre outras mídias. 
Pequeno trecho do enredo:
"Em plena Guerra Civil Americana, três homens, Tuco, Loirinho e Angel Eyes, buscam um tesouro enterrado em um cemitério, mas dois deles (Tuco e Loirinho) apenas tem conhecimento de uma parte da sua localização em suas memórias, e dependem um do outro para chegar ao tesouro, de modo que ninguém pode morrer ou o remanescente perderá informações imprescindíveis. O terceiro, Angel Eyes, apenas persegue os outros dois para tentar chegar ao tesouro, sem ter conhecimento de onde o mesmo se encontra. Não há limites para trapaças e tentativas de um sobrepujar o outro em seu intento. Clint Eastwood, apresenta a figura do pistoleiro de modos refinados, chamado por Tuco de "Loirinho" ("Blondie", no original)". O seu verdadeiro nome não é mencionado uma vez sequer no filme. Mesmo aplicando pequenos golpes para ganhar dinheiro (inclusive alguns deles aliado a Tuco), ele fica com a figura de o Bom, por ser o mais ético e menos sanguinário dos três pistoleiros, só matando outra pessoa como último recurso, como quando é necessário para salvar a própria vida. Eli Wallach faz o papel do canastrão e nada requintado Tuco (cujo nome real no filme é Benedito Pacífico Juan Maria Ramírez), que fica com a alcunha de o Feio, devido a seus trejeitos rudes e sua aparência descuidada. Lee Van Cleef interpreta o pistoleiro que usa pseudônimo, "Angel Eyes (também chamado de "Sentenza", na versão italiana)" que é o Mau. E ele é mau em todos os sentidos. Trata-se de um mercenário sem o menor senso ético, que por vezes trabalha como agente duplo, exterminando tanto o alvo que foi contratado para eliminar, como o mandante do crime, caso isso possa lhe render mais dinheiro. Mesmo com personalidades tão diferentes, os três tem uma característica em comum: todos são pistoleiros excepcionalmente hábeis, com incrível precisão de pontaria e enorme rapidez e agilidade no manejo das armas."

Elson Joee recomenda fortemente escutem a trilha sonora.

Para compra [Amazon]
ou [Senhor Saraiva]



domingo, 9 de dezembro de 2012

Speaking of Good - HQ 100 Balas



100 Bullets is an Eisner and Harvey Award-winning comic book written by Brian Azzarello and illustrated by Eduardo Risso. It was published in the USA by DC Comics under its Vertigo imprint and ran for one hundred issues. The writing and artwork received critical acclaim during the course of its run.


“Por que ler 100 BALAS”? Porque é uma das melhores obras feitas para os quadrinhos de todos os tempos, simples. Brian Azzarello, Eduardo Risso e seus outros comparsas cometeram aqui o crime perfeito: criaram uma história sobre o comportamento humano (a parte mais sórdida dele, pelo menos) sólida, intrigante, madura e composta por tantas camadas que – certo como um tiro no alvo – fará você começar a ler do início novamente no dia em que acabá-la. E, quando terminar de novo, satisfeito e desesperado, vai te fazer ter inveja de quem ainda não a leu.
É o que chamam por aí de obra-prima.

Para comprar na [Amazon]
Na [Panini]
Pode achar no Action e Comics

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Assassinos tupiniquins: e se Assassin´s Creed se passasse no Brasil?


Ultima Matéria 

A imagem que deu origem à brincadeira (Fonte da imagem: Reprodução/Ubisoft)Embora o lançamento de Assassin’s Creed 3 esteja cada vez mais próximo, o jogador brasileiro passou a esperar outro destino para a popular série da Ubisoft. Desde que o produtor executivo da franquia, Sebastien Puel, declarou que o Brasil possui um ótimo cenário para um novo jogo, muita gente ficou imaginando se a afirmação não era um indício do que estava por vir.
É claro que nada foi confirmado e tudo não passou de uma simples sugestão, apontando o período colonial ou até mesmo das bandeiras como bons momentos históricos a serem explorados. No entanto, não nos limitamos a esperar qualquer decisão do estúdio e decidimos dar asas à nossa imaginação, tentando trazer o Credo dos Assassinos para terras verdes e amarelas e contextualizar a guerra entre assassinos e templários dentro da nossa História. Será que funciona?

O herói negro
O início da saga no Brasil Colônia


Nos mais de 500 anos de História, nenhum período seria mais marcante para inserir a guerra invisível que marca a série Assassin’s Creed do que as últimas décadas do Período Colonial. Embora ainda fosse uma simples colônia de Portugal, trata-se de um momento bem conturbado socialmente, marcado por uma série de conflitos.
E, para representar esse momento, nada melhor do que o primeiro herói negro da franquia. Neste jogo, acompanharíamos a saga de Osei, um escravo fugido que acaba se deparando com um assassino e conhecendo os ideais de liberdade e igualdade que ele defende. Ao se tornarem aliados, o herói acaba participando de vários ataques a fazendas e engenhos até saber que há uma revolta prestes a acontecer em Minas Gerais.
Mesmo com suas habilidades, herói não consegue salvar Tiradentes (Fonte da imagem: Tecmundo/Nick Mancini)
Ao chegar ao local, Osei e seu Mentor são apresentados ao homem chamado de Tiradentes e aos demais líderes da revolta. Com ideias semelhantes, eles unem forças e lutam contra as tropas portuguesas que comandam a região — até serem traídos por um de seus aliados. O protagonista até tenta evitar a morte de seu mestre e dos demais companheiros, mas não chega a tempo. É seu primeiro contato com os templários.
O jogo, então, nos levaria para a Bahia, onde um novo foco de revolta surgia. Lutando contra as forças da Corte, o assassino percebe que seu inimigo ainda é invisível, estando a milhares de quilômetros de distância de suas armas. Tentando pôr um fim na falta de liberdade de brancos e negros, o herói falha mais uma vez, principalmente quando seu principal inimigo não pode ser derrotado.
No entanto, a chance de sua vida surge em 1808, quando a Família Real portuguesa foge para o Brasil de uma ameaça maior na Europa. Já no Rio de Janeiro, Osei tenta acabar com a vida de D. João VI, mas descobre que ele nada mais é do que um brinquedo na mão do verdadeiro governante: o templário António de Araújo e Azevedo.
Depois de quase 10 anos de luta, o assassino consegue finalizar seu objetivo e acabar com a influência de Azevedo sobre D. João, que pouco depois é convencido a voltar para Portugal e a deixar o Brasil nas mãos de seu filho, Pedro. Osei e seus aliados tentam se infiltrar na nova Corte para influenciar o príncipe a declarar independência — algo que eles conseguem somente em 1822, depois de muitas batalhas.
No entanto, mesmo depois de tanta luta e sangue derramado, o assassino percebe que nada mudou e que a nova cúpula do Império está tão imunda quanto antes. Decepcionado, ele abandona o manto e se exila no interior, deixando o novo país livre para que os templários atuem mais uma vez.

A ameaça invisível
O império do país em chamas

Mesmo após a independência, as coisas parecem não ter mudado no país. A situação da população continua a mesma, ou seja, pobre e sem oportunidades. Mais do que isso, os templários voltaram a exercer poder sobre o novo Império. Além de tudo, eles se aproveitaram da recente volta de D. Pedro I para Portugal para comandar de vez o Brasil.
Como o sucessor da coroa ainda era criança, os regentes assumiram o poder e a entregaram à Ordem. É nesse contexto que o assassino David surge na capital para protagonizar essa sequência. Vindo como um herói da Revolução Farroupilha, ele logo se junta a outros membros da Irmandade para tirar seus inimigos do poder.
Após diversos combates contra as forças regenciais, o assassino consegue chegar muito próximo de eliminar Diogo Feijó, um dos principais responsáveis pelo domínio templário no Brasil. Apesar de não tê-lo derrotado, os assassinos conseguiram expulsá-lo da Corte e realizar o golpe que fez com que o menino Pedro, de apenas 15 anos, se tornasse imperador — e amigo da Irmandade.
Com o imperador ainda criança, os templários comandaram o país (Fonte da imagem: Tecmundo/Nick Mancini)
É aqui que o jogo mais se diferencia de todos os demais da série. Isso porque o Credo dos Assassinos não tentará derrubar um poder corrupto, mas manter um que tem potencial para ser próspero. Para isso, David e seus irmãos deveriam viajar pelo país para combater movimentos separatistas e rebeliões comandadas pelos próprios templários para desestabilizar o Estado em uma clara tentativa de voltar ao poder.
Ao longo dessas viagens, ele conhece a história de Osei, um assassino que atuou na região há anos e que sonhava com um país livre e igual entre raças, mas que desistiu da Irmandade após ver seu sonho ruir pela corrupção. Assim, David adota esses ideais e volta para o Rio de Janeiro na tentativa de trazê-los à realidade — o que consegue apenas em 1888, ao convencer a Princesa Isabel a abolir qualquer tipo de escravidão.
A decisão, no entanto, foi o estopim perfeito para que os templários voltassem a agir. Reunindo aristocratas que perderam sua principal mão de obra, eles voltaram ao poder ao derrubar o Império para estabelecer a República — um novo regime sempre significa facilidade de ser controlado.
David, já idoso, pouco pôde fazer para conter a revolta. Embora ele e seus irmãos tenham tentado impedir o avanço inimigo, a idade tirou a habilidade do assassino, que tombou antes de ver se o Imperador sobreviveu. Os templários venceram mais uma vez.

Os templários fardados
O país sem voz

Por muitas décadas, o Brasil esteve sob o controle dos templários. No entanto, foi somente em 1964 que eles voltaram a atacar a estrutura da sociedade com mais força. Sob o pretexto da ameaça comunista, a Ditadura Militar é instaurada e o país fica sendo controlado pela Ordem por quase 20 anos.
É nesse ponto que o terceiro e último game da trilogia nos apresentaria Douglas, um jovem que vê sua hora de agir quando seus inimigos decretam o infame Ato Institucional Número 5. Treinado por seus pais — assassinos sobreviventes da Ditadura Vargas —, ele começa a agir em grandes cidades para impedir que inocentes sejam vítimas da repressão militar.
As primeiras missões seriam como mensageiro entre os grupos estudantis, mas suas habilidades logo são exigidas pela Irmandade, que colabora com o movimento de esquerda. Após se mostrar eficiente eliminando soldados, Douglas é convocado pelo MR-8 para algo maior: sequestrar o embaixador americano Charles Burke.
Herói moderno usava novas armas para acabar com a repressão (Fonte da imagem: Tecmundo/Nick Mancini)
Assim como os demais jogos, este Assassin’s Creed traria algo diferente em sua estrutura. Ao contrário de tudo o que se viu até agora, a influência da Ordem dos Templários parece não diminuir, mesmo com os constantes ataques da Irmandade. Eles eram o Governo, e não apenas pessoas influentes. Era uma hidra impossível de ser derrotada.
Ainda assim, Douglas continua na luta para enfrentar os militares, mantendo a população longe da violência. Porém, mesmo com seus esforços, muitas vidas se perdem, inclusive a do jornalista Vladimir Herzog, um forte aliado na luta contra a repressão. Tomado pela culpa, ele decide agir de maneira mais efetiva.
É aí que temos a ida para Brasília, criando o palco perfeito para que o assassino atue. Primeiramente, a cidade foi projetada por um velho amigo da Irmandade, o que faz com que a movimentação furtiva sobre os prédios seja ideal para a caçada aos militares. Além disso, todos os principais templários estavam ao seu alcance, fazendo com que sua lâmina seja mais necessária do que nunca.
Depois de derrubar todos os grandes nomes da Ordem, o herói finalmente veria o processo de abertura política. No entanto, quando acreditava que a liberdade estava prestes a ser obtida, mais sangue foi derramado: os templários tentaram armar um ataque terrorista em meio a um evento para culpar os chamados “vermelhos”. Douglas consegue impedir a explosão da bomba no Riocentro, mas sai gravemente ferido.
Mesmo assim, ele consegue sobreviver para ver a última parte do game: o fim da influência da Ordem sobre o Regime Militar e o retorno da democracia. Apoiando o novo presidente — aliado dos assassinos —, ele acredita que seu trabalho está, enfim, terminado. Contudo, ele percebe seu erro ao ver o recém-eleito governante ser morto e, mais do que isso, ao ver seu próprio sangue tocar o chão. Um tiro pelas costas que lhe deu a resposta que sempre procurou: o Brasil nunca estará livre dos templários, que se escondem em todas as partes do governo, permanecendo invulneráveis a qualquer ameaça ou revolução. A ameaça é real, embora invisível.

Muito mais história
Agora é sua vez

Como dito, esses são apenas alguns momentos históricos em que a história dos assassinos poderia ser contada em nosso país, mas não quer dizer que sejam os únicos. Embora poucos deem valor, o passado do Brasil é rico o suficiente para que vários outros personagens surjam para mostrar que “nada é real, tudo é permitido”.
A Ubisoft já deu a dica para um novo personagem (Fonte da imagem: Reprodução/Ubisoft Brasil)Por isso, contamos com sua participação.Em que outros períodos da História do Brasil poderíamos ter um novo game da série Assassin’s Creed? Se um dia prepararmos uma sequência, sua ideia pode aparecer aqui.
Ilustrações: Nick Mancini
Texto: Durval Ramos
Via Tecmundo

terça-feira, 31 de julho de 2012

Os Vingadores em Blu-Ray e DVD ganha clipes um deles é

Os Vingadores - The Avengers será lançado em setembro em DVD e Blu-ray. Em antecipação ao  lançamento , a Marvel liberou três das cenas mais impactantes do filme, incluindo a cena pós-créditos. Reveja!  

THANOS
O filme será lançado em setembro em DVD e Blu-ray, com direito a uma caixa especial reunindo todos os filmes da "Fase 1" do Marvel Studios. A caixa já está disponível para pré-venda nos EUA.No Brasil, a lata com o Blu-Ray de Os Vingadores sai no dia 29 de agosto  e também está em pré-venda - veja a lista de cenas deletadas. Acompanhe a cobertura completa do Omelete de Os Vingadores com crítica, entrevistas, vídeos, fotos e notícias.

Espero ver está cena
Depois de aparecer numa cena extra de Os Vingadores, a Marvel vai mesmo investir no personagem, com isso, além de aparições recentes nas HQs e republicações já programadas, Thanos terá uma minissérie própria.
O nome da minissérie é Thanos: Son of Titans e vai revelar detalhes da origem do vilão. Com roteiro de Joe Keatingue e arte de Richard Elson, a HQ sai em outubro nos Estados Unidos e terá cinco partes. “A história mostrará como Thanos se transformou no que é hoje. É sobre como o universo Marvel o moldou para ser quem é”, contou Keatingue ao USA Today.

TRAILER DE DEADLIGHT VAI TE IMPRESSIONAR




Apesar de a moda de jogos de zumbi estar enchendo a paciência de muita gente, o mais recente título a ser anunciado no mundo do apocalipse dominado pelos cadáveres ambulantes está impressionando muita gente.
Deadlight segue a jornada de Randall Wayne em busca de sua família, saindo do Canadá até uma Seattle completamente destruída. O fim do mundo chegou nos anos 80, e não só dizimou a vida na Terra, como também fez com que mortos-vivos surgissem para atormentar o pouco de vida humana que sobrou.
Com um visual bem impressionante, Deadlight é uma experiência interessante no mundo dos games de plataforma. Mesmo que você tenha armas, o principal é saltar, correr e escalar.




O jogo chega exclusivamente na Xbox Live a partir de 1º de agosto.

BILHETERIA DE THE DARK KNIGHT RISES JÁ ULTRAPASSA A MARCA DE MEIO BILHÃO


Faz apenas 11 dias que o encerramento da trilogia do Batman deChristopher Nolan estreou nos EUA, e 5 dias que ele chegou no resto do mundo. E apesar de não fazer uma estreia tão estrondosa quanto outros filmes de 2012 e apenas um pouco melhor que a abertura de O Cavaleiro das Trevas, a bilheteria está se mostrando extremamente firme e forte.
Só nos EUA, O Cavaleiro das Trevas Ressurge (de acordo com o Box Office Mojo) já arrecadou mais de $287 milhões de dólares. Internacionalmente, foram outros $248 milhões de dólares arrecadados, totalizando o mega valor de $535 milhões.
Vendo que este valor foi alcançado em pouco menos de 11 dias, é fácil de se imaginar que, assim como The Dark Knight, o último filme também ultrapassará a marca de $1 bilhão de dólares em bilheteria. É apenas uma questão de tempo.
Lembrando da tragédia que aconteceu no Colorado, Christian Bale foi visitar as vítimas do tiroteio no hospital (sem nenhum aviso à imprensa). Várias das vítimas que morreram ainda no cinema estavam protegendo seus filhos e cônjuges com o próprio corpo. Por um lado bom, um casal acabou noivando dentro do hospital.
Hans Zimmer, o compositor do filme, criou uma música para arrecadar doações para as vítimas. Para ouvir (e doar), clique aqui.

ASSISTA AO 1º TRAILER DA ANIMAÇÃO O CAVALEIRO DAS TREVAS – PARTE 1!



Em 23 de outubro deste ano, chega direto em DVD e Blu-Ray a mais nova animação da DC Universe, que adapta uma das mais importantes HQs de Batman e da história das histórias em quadrinhos: O Cavaleiro das Trevas!
Dividido em duas partes (a segunda chega em 2013), veremos na telinha o ressurgimento de Batman. Após o êxodo de heróis mascarados (exceto o Superman, que trabalha para o governo), passaram-se 10 anos sem o Homem-Morcego em Gotham City.
Quando sua cidade é ameaçada por uma gangue enorme, auto-denominada de “mutantes”, um Bruce Wayne já velho decide que é hora de voltar.
Tudo indica que a primeira parte contará o ressurgimento de Batman, o surgimento de Carrie Kellycomo a nova Robin, a luta contra os mutantes, e o retorno do Coringa. É bem provável que o novo embate contra o Coringa possa ficar para o final da Parte 1, ou então para o início da Parte 2.
Seja como for, com certeza não veremos nada de O Cavaleiro das Trevas 2, a tenebrosa continuação (que é melhor nem dizer que existe).
Confira aí o trailer!


Get More: MTV Shows